quinta-feira, dezembro 25, 2008

Feliz Natal



"Anoiteceu o sino gemeu
a gente ficou feliz a rezar

Papai noel vê se você tem
a felicidade pra você me dar

Eu pensei que todo mundo
fosse filho de papai Noel

Bem assim felicidade eu pensei
que fosse uma brincadeira de papel

Já faz tempo que eu pedi
Mas o meu Papai Noel não vem

com certeza já morreu
ou então felicidade é brinquedo que não tem."


Feliz Natal a todos, que Deus ilumine o coração de cada um!

Forte Abraço

quarta-feira, dezembro 17, 2008

...

Olá!

 

Primeiramente, quero me desculpar por não estar comentando nos blogs amigos. Estou sem " cabeça" pra isso, digamos.

Bem... Confirmado. Minha amizade com o R. já era. Adicionei ele em outro endereço de msn, o qual ele aceitou. Outro dia vi ele on-line neste endereço, entrei correndo no que eu já tinha e ele estava off. Voltei ao novo endereço e ele permanecia on. Ou seja, ele me bloqueou ou até mesmo excluiu.

Estou incomodado com isto, pelo fato de que eu era o correspondente entre ele e os outros ex-colegas de trabalho, assim como também comentava alguma coisa sobre ele em casa. E se, hoje, vierem em perguntar sobre não saberei o que dizer... e com certeza, mais cedo ou mais tarde, alguém vai querer saber como ele está, mandar algum recado ou qualquer outra coisa...

Me incomoda também o fato de não entender o porquê de tamanho espanto com isso. Se eu tivesse passado uma cantada nele ou no LF. eu até concordaria... mas, simplesmente, por ter dito achar LF lindo?

Isso para mim está com cara de uma única coisa: ciúmes! Como eu nunca disse que ele é lindo, embora vontade não me faltasse, disse apenas que ele não era de se jogar fora... ficou enciumado. Só pode!

Às vezes tenho vontade de mandar um e-mail, carta, fax, sei lá... citando partes dos e-mails que ele me passou, onde dizia "ter muitos amigos como eu", "que eu podia falar o que quisesse e ele ouviria e falaria tudo o que quisesse", "que era para eu estar à vontade em falar sobre o assunto com ele".... mostrando que o único erro que cometi foi levar a sério as palavras dele e acreditar na sinceridade da amizade dele. Ao mesmo tempo, acho melhor dar mais um tempo e pensar melhor no que fazer, ou então, nunca mais o procurar.

 

Enfim, mudando de assunto. Não me lembro se comentei aqui, mas fiz um cadastro em um site de relacionamentos gay. Como já ouvi muitos dizerem, a maioria dos cadastrados no site procuram apenas sexo, embora no perfil não esteja dizendo isso. Mas, no meio de tantos se encontra pessoas legais, ao menos é o que parece. Achei um carinha de uma cidade próxima à minha, a uma hora de carro mais ou menos. Conversamos via msn. Super legal, descontraído e bonito, pela rápida visão que tive da foto.

Só que eu cometi um pequeno "deslize", digamos. Disse a ele onde trabalhava. E, através dessa simples informação, ele descobriu nome, sobrenome e tal... Sei por que ele me disse, foi falando meu nome... tomei um susto enorme. Até aí, tudo bem, o que ele pode fazer com o meu nome, não é? O que me preocupa é que eu já havia perguntado a ele se ele tinha orkut e a resposta foi negativa. Então perguntei como foi que ele descobriu meu nome. Ele respondeu que o "sobrinho" dele entrou no orkut através do note dele e deixou gravado... Dá pra acreditar nisso? E o mais me cismou: Eu perguntei o nome dele. Ele não quis me falar, disse que era para não quebrar a "magia".

Aiai... ele é tão legal, praticamente nem tocou em sexo no nosso primeiro contato, diferentemente de outros que já de início abriam a cam sem roupas... Mas, me encuquei essas duas coisinhas. Mas, sei lá, vamos ver no que dá, né?

 

PS. Quanto ao comentário que eu pedi o e-mail, se eu não me engano eu sei quem é, mas poderia confirmar pra mim no viversemfronteiras@ibest.com.br... Hehe

 

Beijo

segunda-feira, dezembro 01, 2008

Acho que consegui...

... estragar aquilo que eu tinha de melhor, até agora.

 

É isso mesmo. Consegui estragar o que tinha conquistado, e que eu considerava um grande passo dado na grande busca da minha vida: a amizade com o R.

 

Como mencionei no post anterior, ele me disse que havia brigado com a esposa por causa da desconfiança dela sobre minha homossexualidade. Respondi a ele perguntado: "Não vai me dizer que ela tem ciúmes da nossa amizade? Em todo caso, diga a ela que eu... Te Amo... Como amigo! Amigo! Embora ele não fosse de se jogar fora.".

Ele respondeu, querendo remendar (eu acho), em tom de brincadeira, que é um "sarrinho" que ela tira dele. Que eu poderia ficar tranqüilo em relação a ela, pois ela sabe que somos amigos. E disse, ainda, que o LF, um amigo dele de infância, e meu da pós-graduação, tinha certeza de que eu era homossexual. E que ele nunca desconfiava, que é distraído pra "certas coisas".

Nossa! Levei um susto, porque nunca ninguém desconfiou, que eu saiba. Mas, me lembrei que, antes de estudarmos juntos, quando LF. vinha conversar com o R. aqui na faculdade, eu ficava encarando ele. Acho ele lindo. E pensava o mesmo dele, ou seja, que ele fosse homossexual, mas ele se casou no começo do ano.

Eu disse exatamente isso ao R., que eu sei o porquê dele desconfiar, só não disse que pensava que ele fosse também. Mas, disse que acho ele lindo, só que depois de estudarmos juntos, passou.

Ele não respondeu nada. Passou um dia, eu achei estranho não vir resposta, enviei um e-mail, pedindo desculpas e dizendo que "eu tinha me 'excedido', pois ele não estava acostumado a 'ouvir' um homem falar assim de outro. E, com certeza, isso não irá acontecer novamente".

Ele respondeu dizendo que, realmente, era um pouco estranho para ele, mas que eu nem precisava pedir desculpas.

Respondi que eu deveria, sim, pedir desculpas. Pois, não sabia o que eu tinha na cabeça pra dizer aquilo. E afirmei que jamais se repetirá

Ele não respondeu mais nada até agora.

Para que eu pudesse ver o que poderia estar acontecendo de ele não ter respondido, enviei e-mail falando sobre uma vaga de emprego em um ramo que ele tem vontade de entrar, e deixei recado também no msn. Não respondeu em nenhum. E pra piorar ainda mais, vi ele entrar diversas vezes no msn, eu estava on-line e ele não me chamou. Também não o chamei. E, ontem à tarde, entrei no msn e ele estava on-line, não deu dois segundos que eu estava on, ele apareceu como off-line.

 

Acho que não devo ficar correndo atrás. Se errei, já pedi desculpas. Apenas fui sincero com ele, como ele havia me dito que queria ser comigo. Embora, não esteja sendo fácil para mim, pois é o único amigo que tenho(tinha), eu vou esperar ele me procurar. Se ele não vier, é porque não queria minha amizade.

 

O que vocês acham?

 

Beijo

quarta-feira, novembro 26, 2008

Ainda não foi dessa vez...

Olá!

 

Então... sábado não deu pra contar. Meus horários mudaram completamente. Tive um treinamento aqui na faculdade pela manhã, tive de ir pra clínica à tarde, saí de lá já eram mais de 8 da noite. E por fim, meu cunhado resolveu ficar namorando em casa com minha irmã.

E por conta disso, eu quase que entrego o jogo, e ia virar um... sei lá o quê.

Estávamos na sala: eu, minha mãe, minha irmã e o noivo. Estávamos assistindo à A Favorita, quando passou a cena da Lilian Cabral defendendo a Paula Burlamaqui que faz o papel de uma lésbica... logo em seguida passou a propaganda de um filme com o Marco Nanini e Ney Latorraca, onde eles se vestiam de mulher. Cara, se você visse o que eu escutei o meu cunhado falando... não aguentei. Me irritei e respondi: "É só não assistir, está aí para que QUISER ver!" E fui saíndo. Minha mãe tentou remendar e disse: "Mas, é que a gente fica chateado..." Acenei com a cabeça num gesto de negação e saí. Sei que no domingo ele chegou nem falou "bom dia". Minha irmã viu que estávamos assim, já começou a chorar e tal...

Minha mãe veio falar comigo, que ficou muito chateada com a forma que respondi a ele... sei que eu deveria ter aproveitado a hora e ter dito tudo a ela, porém, estávamos organizando as coisas para um almoço onde eu receberia algumas pessoas em comemoração a meu aniversário. Por isso, achei que não era momento nem local, né? E acabei dizendo que eu já estava cheio de ele ficar criticando o que eu assisto, e eu dentro da minha casa já tive que dar o direito a ele de assistir futebol enquanto eu queria ver outra coisa, que acho que estava chegando o momento de eu ter o meu espaço, pq uma coisinha que falo é motivo pra tanta coisa...

Enfim, com o almoço tudo voltou às boas!

Por causa disso, estou pensando melhor e acho que vou declarar minha liberdade sem ela saber... e viver minha vida, se algum dia ela perguntar... eu conto... quem sabe assim eu não vou ter alguém já, um apoio a mais, né?

 

Eu pedi o conselho de diversos amigos e juntando com o dos leitores do blog fica meio a meio. Ou seja, metade acha que só vou conseguir viver tudo o que sinto contando à minha mãe, a outra metade acha que devo começar a viver e se ela perguntar algum dia, então eu conto. Da mesma forma ocorreu com a opinião profissional. Meu psiquiatra acha que devo contar, enquanto meu psicólogo acha que tenho muitas outras coisas a resolver antes que ela saiba.

 

Resumindo... mais uma vez estou perdido. Minha mente já está cansada de tanto pensar qual o caminho a tomar...
 
Beijo

quinta-feira, novembro 20, 2008

30 Anos

Mais um aniversário, mais um ano que se passa.

E eu estou diante da tomada de decisão mais difícil da minha vida.

Contar ou não contar, à minha mãe, sobre minha sexualidade.

 

Por um lado, eu vejo que contar é solução para o "grande problema" da minha vida. Não relacionar-me, na realidade, com pessoas como eu, seja amizade, namoro, etc...

Por outro lado, eu sinto que deveria começar a relacionar-me com essas pessoas, sair... criar a independência "maternal" digamos, já que a financeira, de certa maneira, eu consigo ter.

 

Em relação ao dia 22, já não sei se será exatamente neste dia, pois já surgiram compromissos no sábado à noite, momento em que é costume eu estar sozinho em casa com minha mãe.

Eu juro que é isso, e não estou protelando mais uma vez! Rs

 

Beijo

domingo, novembro 16, 2008

22 de Novembro

Olá, amigos.

Semana atribulada pra mim essa que passou. E acho que mais uma começa!

Como comentei, o filme mexeu com meus pensamentos e vi o quanto sou incapaz de assumir a responsabilidade por aquilo que sinto e quero viver.
Por sorte, dia 12, tive uma consulta com o meu psiquiatra. Passei a ele tudo o que estava acontecendo, os sentimentos que despertaram em mim após assistir ao filme... falei da necessidade de ter a aprovação ou reprovação de minha mãe. Foi uma conversa longa e profunda. Onde ele conconrdou que o que resta para eu poder viver todo esses sentimentos reprimidos a dezessete anos, pois esta semana completarei 30 anos, é somente a ciência de minha mãe disso tudo, já que ela é a pessoa mais importante e mais próxima para mim. No entanto, o psicólogo discorda, e acha que tenho muitas outras áreas a serem trabalhadas e lapidadas antes de a família saber sobre minha sexualidade. Como por exemplo, a minha privacidade dentro de casa, a minha independência em relação à família...
De qualquer forma, o psiquiatra, na nossa conversa, fez com que, como presente de aniversário, eu marcasse uma data para sentar com minha mãe e então contar tudo a ela. Essa data foi marcada e é dia 22 de novembro, ou seja, o próximo sábado. Dois dias depois do meu aniversário, pois o psiquiatra sugeriu que fosse em outro dia para não estragar o aniversário.
E agora estou aqui, entre a dúvida e a certeza, entre a coragem e o medo... sentimentos que se alternam de minuto em minuto...
Mas, antes de tudo coloquei nas mãos de Deus... sei que ele vai mostrar a mim qual a melhor decisão a ser tomada: Contar ou não contar.

Comentei com o R. sobre tudo isso por e-mail. E, diante de tamanha tensão de minha parte, ele veio pessoalmente falar comigo na quinta-feira. A princípio ele achou que seria a melhor saída e que assim eu seria feliz. Chegou a oferecer sua casa caso aconteça alguma coisa, ou seja, minha mãe me expulsar de casa.
Perguntei se a esposa dele estava sabendo sobre tudo o que contei a ele, só para não criar problemas entre eles e quando encotrá-la saber que posso falar perto dela sobre o assunto.
Ele respondeu que não deveria ter feito isto, mas que ele ocntou, sim a ela.
Fiquei, com certeza, mais seguro e, se realmente eu contar e as coisas derem de mal a pior, terei um apoio.
Porém, na sexta-feira, enviei um e-mail a ele afirmando que eu não ligava de ele ter contado a esposa, e expliquei o porquê de ter perguntado. E perguntei se ele realmente não desconfiava de mim antes de ter contado.
Ele disse respondeu que nunca desconfiou, mas a esposa desconfiava e que ele já até brigou com ela por essa desconfiança. Seria ciúmes dela em relação à nossa amizade?
E nesse mesmo e-mail, ele disse que esteve analisando melhor e que achava melhor eu não contar à minha mãe. Pois tinha ouvido aquele dia que omitir não é pecado, e eu estaria evitando o sofrimento de alguém. E que, se eu tenho medo de sair do seio da família, do trabalho etc. ... que eu poderia ser feliz em muitas outras áreas da minha vida... e não deveria me envolver com ninguém, pois há muitas pessoas felizes sozinhas.
Acho que ele voltou no que ele disse no primeiro e-mail que trocamos sobre o assunto homossexualidade. Dizendo que eu deveria viver em abstinência. rs Não foi mais ou menos isso que ele tentou dizer?
Ainda não respondi a esse e-mail... mas, com certeza, vou dizer a ele que eu não conseguirei ser plenamente feliz nas outras áreas, se o que eu sinto é a falta de alguém que eu possa dividir momentos a dois... mais ou menos neste sentido.

Bem, amigos, eu sei que vocês esperam comentários nos blogs de vocês para comentarem aqui. Mas, esses dias foi meio complicado eu estar na net, por isso não tenho comentado. Mas, fazem uma forcinha, dê a opinião de vocês sobre a decisão que devo tomar, por favor!

PS. A quem devo resposta de e-mail ou e-mail, esperem que vou passar, ok?

segunda-feira, novembro 10, 2008

Tudo que é bom... dura pouco!


Keanu Reeves, uma pena hoje ele já não estar mais assim!


Oi, meus amigos!

É... como tudo que é bom dura pouco, minha oportunidade de um mínimo de liberdade não passou de vontade. Não irei mais viajar. Semana passada quando eu fui ver com uma das colegas que haviam me chamado se estava tudo certo, ela disse que não iria mais, pois a outra colega havia desistido e ela não teria com quem dividir o quarto, pois os outros "membros" da excursão, são desconhecidos tanto para mim como para ela. "Tudo bem", pensei, "vai ver não era pra ir!". Fiquei de boa. No entanto, hoje pelo que pude entender, ela vai viajar. Só não entendi o porquê de fazer isso. Realmente é difícil em quem confiar, não?

Mas, enfim, tirando isso, o dia já não começou muito bem para mim. Aliás, ontem não terminou muito bem.

Quero comentar, aqui, sobre o filme "Caçadores de Emoção" ou "Point Break", com Keanu Reeves (lindo!) e Patrick Swayze.

Então... assisti ao filme ontem. E fiquei mal pra caramba. Pois, resolvi assití-lo depois de, não sei onde, ter lido que se tratava de um filme com temática homossexual, e, ainda, tendo Keanu no papel principal, que é um dos homens que me tira do sério. No filme, Johnny Utah (Keanu) é um agente do FBI, com a missão de descobrir uma quadrilha de assaltantes de bancos. Seu parceiro de missão tem convicção de que se trata de surfistas. Assim, Johnny aprende surf afim de se infiltrar no mundo do surf e cumprir sua missão. Não demora ele conhece Bodhi (Swayze), um surfista "místico" e carismático, viciado em adrenalina, que mostra a Johnny uma nova maneira de viver a vida.
E aqui está a grande questão do filme, que me intrigou. Johnny, chega a se envolver com uma ex-namorada de Bodhi. Porém, em duas cenas, pelo menos na versão que vi, legendada, Bodhi diz que tudo que Johnny fez foi para ter o seu homem (Bodhi).

Afinal, esse filme é ou não gay? Procurei várias sinopses hoje e nada encontrei neste sentido. Vocês sabem me dizer?

Mas, se for a mensagem que eu tive é que "vale tudo por amor, custe o que custar!" Inclusive, deixar o seu grande amor morrer.

Fiquei mal pra caramba! Afinal, o que eu já fiz por amor?
Simplesmente... nada!

E pra me deixar um pouco pior. Fui fuçar nas minhas fitas K-7 e a primeira música que ouço é "Sou toda pra você" de Gloria Estefan. Uma época que eu sofria e muito por amor!

Keanu Reeves



Sempre assim, só nos dois
Sem deixar pra depois
Esse amor, nunca igual
Cada vez mais coisa e tal

O tempo não perdoa e a noite vai
Eu te quero ate o fim e nunca é demais
Isso é tão bom pra mim
Assim eu fico em paz
E o que mais eu vou querer
Sou toda pra você

Sempre assim, sem pensar
Outra vez me entregar
Respirar, teu calor
Flutuar, no teu amor

Teu corpo me estremece de prazer
Faz o mundo desabar
Me faz enlouquecer
Não da mais pra controlar
O jogo é pra valer
E o que mais eu vou querer
Sou toda pra você

Quero te amar, pra sempre ser feliz
Sente o coração que sempre diz
Não dá pra voltar atrás, nuca mais

Sempre assim, sem pensar
Outra vez, me entregar
Respirar, teu calor
Flutuar, no teu amor

Teu corpo me estremece de prazer
Faz o mundo desabar
Me faz enlouquecer
Não da mais pra controlar
O jogo é pra valer
E o que mais eu vou querer
Sou toda pra você

Sou toda pra você minha vida
Sou toda pra você minha vida, sou toda pra você

segunda-feira, novembro 03, 2008

Será o primeiro passo?

Olá! Obrigado pelos comentários, novos visitantes. E a quem estou devendo e-mail, pode esperar que enviarei, ok?

 

Bom... estou ansioso e ao mesmo tempo inseguro, com medo, com uma pequena oportunidade que está surgindo para que eu me "desligue" um pouco da família e possa, finalmente, conseguir um pouco de independência e fazer novas amizades. Uma colega de trabalho me chamou para uma excursão para o litoral paranaense, onde passaremos apenas o final de semana do dia quinze, que é feriado. São dois dias só, mas me sinto bastante inseguro, pois será a primeira vez que fico fora de casa sem alguém da família por perto. Mas, como sempre tem que ter a primeira vez, e a minha já está muito atrasada, vou arriscar! rs

Fico imaginando em tentar ter alguma "experiência" homo por lá... sair à caça, mas não sei se terei coragem pra tanto. Acho que seria um passo muito grande por ser o primeiro, não acham?

E por falar em experiência, alguém sabe me dizer se há casas GLS por lá? Procurei na net e não encontrei nada. Se souberem por favor deixem um comentário!

Enfim, colocarei vocês a par do que acontecer por lá! Podem aguardar! Rs

 

Beijo

segunda-feira, outubro 27, 2008

Covardia

Olá!!

 

Covardia. Não há outro nome que eu veja mais cabível ao meu comportamento senão covardia. Segundo o dicionário, covardia é o oposto a toda coragem e bravura; falta de ânimo, medo, timidez.

E é isso que eu demonstrei, mais uma vez, semana passada. Sábado, era um dia daqueles que você não sente vontade de ver quem quer que seja, não quer abrir a boca para nada e muito menos ouvir. Eu estava assim, fui para a clínica de manhã, voltei no horário do almoço, e não fiz nem as perguntas que de costume faço ao chegar em casa. Tirei um bom sono à tarde, assisti um pouco de TV e fui pro computador, onde fiquei até começar o filme ao qual eu queria assistir. Quando saí do quarto para a sala, minha mãe já começou os questionamentos.

"Kaka, o que é que você tem hoje que não falou com ninguém? Está o dia inteiro desse jeito! Não perguntou do seu irmão, nem da sobrinha..."

Respondi que não tinha nada, que estava tudo bem. Sentei para ver o filme e ela foi deitar-se.

Passado uns dez minutos, não se contentando com minhas respostas, ela levanta e volta a me perguntar:

"Kaka, você não está bem? Está sentindo alguma coisa?"

"Não, não estou sentindo nada!"

"O que é então? Está com algum problema na faculdade? Na Clínica? No psicólogo? No psiquiatra?"

"Não, não estou com problema algum!"

 

rs... Prestaram atenção nessa minha resposta?

Aí que eu enxergo a covardia. Eu tinha que ter tido a coragem de dizer a ela tudo o que está acontecendo.

Não consigo seguir as orientações do psicólogo, nem pra fazer amigos. Não consigo viver a minha sexualidade da forma como a sinto...

 

E com isto, eu acho que acabei descobrindo que eu só vou conseguir resolver toda essa questão, se contar a ela. Não sei nem faço idéia de qual seria a reação dela. Mas, talvez, eu necessite da "aprovação", ou mesmo, "desaprovação" dela para poder, definitivamente, viver.

 

Mudando de assunto:

 

Ontem, ao me deitar, não sei por que cargas d'água, me veio à mente o meu ex-professor de natação. Há algum tempo atrás, eu postei a foto de um cara que é muito parecido com ele. Só para relembrar, neste post eu relatei que ele foi uma grande oportunidade que perdi, devido a alguns indícios de interesse dele, porém a minha covardia foi mais gritante e me impediu de agir. São coisas do tipo: Numa certa aula, estávamos conversando sobre massagens, e, na frente dos outros alunos, ele pede para eu massagear os pés dele, dentro da piscina. Todos os dias, após a aula, ele pedia para eu ficar para ajudá-lo a colocar cloro na piscina (naquela época ainda era o cloro! hehe) e depois cobrir a piscina. Assim, ficávamos sozinhos para tomarmos banho, onde ele, muitas vezes, pedia minha toalha emprestada com a desculpa de ter deixado a dele dentro do carro. E quando saíamos para ir embora ele saia abraçado comigo, com o braço no meu ombro, e eu com o braço na cintura dele. Ou então, quando eu ia acertar a mensalidade, que estávamos só, ele tirava a camiseta com a desculpa de estar úmida...

Pois, então, lembrei dele ontem, e hoje pela manhã quem foi a primeira pessoa que vi? Cheguei a um laboratório para deixar um exame de minha irmã, e ele estava lá, veio falar comigo... lindo como sempre. E, eu tinha pensado, enquanto me lembrava dele, em perguntar se ele não voltaria a dar aulas de natação e dizer que eu só voltaria se fosse ter aulas com ele, fosse onde fosse. Mas, o assunto não se encaminhou pra essa direção.

Enfim, por que não são todos os pensamentos (positivos) que temos que dão resultado tão rápido assim, hein? rs

 

Beijo

quarta-feira, outubro 22, 2008

MEME... mais um. rs

Olá!
 
Fui escolhido pelo nosso amigo Leo Carioca para participar de um Meme. Tenho que citar 8 coisas que quero realizar antes de morrer.

 

Então, quero:

 

- Resolver minha vida, na questão sexualidade, principalmente;

- Ter alguém especial ao meu lado;

- Fazer um mestrado na minha área;

- Ter meu próprio negócio;

- Fazer um projeto de assistência a pessoas carentes;

- Ter UM filho,pelo menos, mesmo que adotado, se não for possível biologicamente;

- Ter um piano de calda;

- Conhecer pessoalmente uma boa parte de meus amigos virtuais, se não todos.

Não necessariamente nesta ordem. rs

 

Como é de praxe, eu teria que indicar 8 blogueiros para participar, mas é meio complicado tantos assim, né? rs Então vou seguir o Leo Carioca e vou indicar 4. Que são:

 

Leo

Sam

Rick

Dan Marine

 

Nossa! Fiquei preocupado ao fazer este Meme, hein? Por um instante pensei que não ia conseguir oito "sonhos".

 

Beijo

quinta-feira, outubro 16, 2008

Colocando em dia

Olá!!!

 

Praticamente um mês longe daqui...

 
E neste um mês aconteceram até bastante coisinhas, que podem parecer nada, mas mexeram comigo. Só que, sinceramente, estava desmotivado a escrever. Por muitas vezes começava a fazer um post e parava.
 
Esta foto eu tinha que postar antes que eu levasse outra bronca! hehe
 

Mas, enfim, vamos ao que interessa.

 

Bem, acho que foi outro erro meu colocar o título do texto que o psicólogo me passou, sem ao menos pesquisar se era possível encontra-lo na net. Só o fiz depois que recebi os recados. Procurei alguma referência nele mesmo pra passar a vocês e quem sabe talvez consigam encontra-lo. O que encontrei foi:

- Autora: Jocelaine Martins da Silveira

- Editora: Universidade Estadual de Londrina.

Ou seja, tudo indica que seja a publicação de um artigo sobre algum TCC, não é?

 

Quanto a publicá-lo aqui, ficou meio complicado, ele nem é tão extenso, mas o problema é que o psicólogo foi categórico em dizer que este texto é, especificamente, terapêutico. Que se eu quisesse passar a alguém, ele não se responsabilizaria. Daí o meu erro em ter postado o título, né? Peço desculpas a vocês por criar essa expectativa!

 

Anyway, vamos colocar em dia minha "sopinha de letras". rsrs

 

Hoje, dia 16/10, foi o última dia de trabalho do S., o japa, aqui na empresa. Eu sabia que ele já não estava mais contente com o trabalho aqui, com relação a salário, função, horário. Mesmo a empresa tendo feito um ajuste para ver se o ajudava, não adiantou. Ele começou a faltar, atrasar... até que foi demitido. Mais um dos que se vai! Fazer o quê? Nem era pro meu bico mesmo...

 

R. Quanto ao R. ele voltou a me procurar, mesmo por e-mail, na mesma situação que ele se encontrava na ocasião em que me apaixonei por ele. Ou seja, reclamando do emprego novamente, reclamando que está sozinho, pois onde ele está trabalhando agora é apenas ele e mais um funcionário que trabalha mais fora do que na empresa... e que sente muita falta da época que trabalhava comigo. Que eu e L.F. somos seus únicos amigos, e que queria contar comigo para ouvi-lo. Puts! Como eu queria poder cuidar desse homem...

Pelo menos a revelação de minha sexualidade não mudou nada entre nós.

 

Nestas duas últimas semanas, A. diminui consideravelmente o contato comigo, dizendo estar com e-mail cortado no trabalho. Uma situação bem estranha essa, pois que empresa vive sem e-mail hoje em dia? Ainda mais empresa de comunicação... Enfim, mas, como ninguém é tão ingênuo... acredito que seja por ele estar ficando com um cara, um ficante fixo, nessas duas semanas. Eu acho tão... sem propósito cortar amizades por conta de um começo de relação... Mas, cada um, cada um!

 

Mudando de assunto.

 

Não estou muito bem lembrado, mas acho que já comentei aqui sobre um auxiliar de enfermagem que trabalha na clínica onde faço tratamento, que foi para Londres há cinco anos e agora está de volta ao Brasil e à clínica. Já há uns dois/três meses que ele está trabalhando novamente na clínica, mas não tinha coincidido nossos horários. E hoje, felizmente, eu espero, coincidiu. Antes dele ir para o exterior, houve um pequeno atrito entre nós dois, mas que não abalou nossa amizade. Ocorreu que, outros dois auxiliares começaram a soltar boatos de que ele, vamos chama-lo L. estava afim de mim e não via a hora de cuidar de mim. Na minha... santa ingenuidade, cheguei em casa e contei à minha mãe. Pois queria ver a reação dela diante de comentários do gênero. E vi. Vi a pior reação possível. Telefonou imediatamente à diretoria da clínica. Virou aquele bafafá... Enfim, como já disse não abalou nossa amizade, ele foi para a Inglaterra e mantínhamos contato. Hoje, eu puxei neste assunto com ele, nesse rolo todo, e descobri que tinham destorcido a história para ele. Para ele o problema todo foi por causa de um chocolate que havia levado. Nada a ver. Revelei, então, o verdadeiro motivo de toda a confusão e... nesse gancho, revelei a ele também sobre minha sexualidade. Ele foi supernatural, o que não poderia ser diferente, e disse jamais desconfiar. Relatei a ele tudo o que passo com relação à privacidade, às inseguranças, etc. Portanto, vamos ver se ele poderá me ajudar de alguma forma. Espero que sim!

 
Beijo

 

sexta-feira, setembro 19, 2008

Solidão e a necessidade de conhecer alguém

Olá, amigos!

Desculpe pela ausência!

Acho que já deu pra perceber que quando não estou bem, me ausento, né? Não gosto de usar o blog apenas para lamentações. Só que não foi só por eu não estar bem que não atualizei, foi pela correria da vida também.

Agora estou melhor, mas ainda um pouco pra baixo.

O que me deixou depressivo foi um texto que o meu psicólogo passou para eu ler. O texto leva o título "Por que ainda estou só?". E nele, vi toda a minha vida. Tudo aquilo que faço e deixo de fazer. Fala da solidão, dos solitários e daqueles que querem encontrar alguém. Segundo o texto, pode ser confundido o conceito de solidão com quem está à procura de alguém, mas são coisas distintas. O sentimento de solidão pode vir mesmo quando estamos acompanhados, e é o querer que uma pessoa nos compreenda. Dessa forma, concluo que passo pelos dois: solidão e desejo de encontrar alguém. Porém, a solidão nos deixa desmotivados a encontrar alguém... não se tem vontade de sair e econtrar pessoas. Já a falta de uma pessoa com quem compartilhar a intimidade faz com deixe de gostar de si, restringe-se a auto-estima.
Estes sentimentos podem ter origem pelo cuidado que se tem com os pais. Sim! O "cuidar dos pais" acaba fazendo com o filho se sinta responsável por eles e se culpando, quando acontecer algo, por ter deixado os pais sozinhos para um encontro, por exemplo, onde os pais punem o afastamento do filho. E isto ainda é mais acentuado em filhos de pais separados.

Pelo menos agora eu entendo o que sinto. É a mistura desses dois sentimentos. E o grande problema é que, segundo o texto, para começar a modificar este "quadro", os solitários mesmo não estando animados a saírem e conhecer pessoas o devem fazer. É isto que meu psicólogo orienta, e é isto que eu não consigo fazer. Não tenho vontade de fazer. É como o texto diz: "Algumas pessoas sabe que precisam variar e sair de casa, mas acreditam que devem esperar um momento de inspiraão e aproveitá-lo." É isto que espero... embora o texto ainda dizer que "a inspiração é algo que virá depois que se tiver enfrentado as coisas."
Segundo a autora, para muitas pessoas "é mais confortável curtir os problemas do que sair e enfrentar o que requer um combate corajoso." Eu acredito que é realmente isto que acontece comigo. E, por não saber de onde tirar forças para mudar isso, fico mal, abatido... descrente de um futuro melhor.
Esta parte do texto que segue, é exatamente o que acontece comigo.
"Às vezes, para algumas pessoas, é extrmemante doloroso olhar para si e para o curso que sua vida tomou. Isso as constrange, porque estão presas a idéias que ditam o que se espera que as pessias estejam fazendo nessa ou naquela fase da vida.

Portanto, eu consigo enxergar o porquê de estar como estou, sei o que devo fazer... mas, e a coragem pra mudar o que precisa ser mudado?
Enfim, vou ter que descobrir de onde tirar força, coragem pra mudar o rumo de minha vida!


Mudando de assunto...
Quanto ao R. ficou nisso mesmo. Sobre este assunto não falamos mais, telefonei a ele semana passada, mas como eu estava no trabalho não tinha como comentar nada e ele também não tocou em nada!



Beijo

segunda-feira, setembro 08, 2008

A Luta da Vida

Olá!

Bem, anônimo, eu aguardo o teu e-mail então! Mais uma vez obrigado pelos elogios! Prometo prestar mais atenção. E, sim, com toda certeza jamais faria mal a alguém, mesmo que involuntariamente! Enfim, nos entendemos, né? Portanto, amigos???
No aguardo, então!


Esta semana comecei com um desânimo total. Fim de semana já foi um tédio... Bom, nem vou falar muito hoje, deixo o texto a seguir.


A Luta da Vida

Fala meu coração.
Luta, por quem és e por quem queres ser.
Vai à guerra, ganha e conquista,
não te deixes abater.

A vida não é sempre assim,
mar revoltado em dia de tempestade,
pode ser mansa como um bebé
no seu berço, embalado.

Meu coração vai procurar
aquilo que perdeste,
aquilo que não sabes se alguma vez tiveste,
aquilo que pensas que te fará feliz.

Faz o que quiseres.
Desperdiça o tempo precioso,
esquece tudo e todos,
mas não deixes de lutar.

Se insistires, um dia vais alcançar
e a chama da vida até agora oculta em ti
virá arder à flor da tua pele.
E assim um dia poderás dizer: “Eu consegui!”

F. Marques



Beijo

sábado, setembro 06, 2008

Grato



Olá!!

Bem, hoje eu vou postar apenas em agradecimento.

Agradeço a vc anônimo pelo alerta deixado. Eu confesso que não olhei por este lado, e vendo assim você está coberto de razão. No entanto, foi feita uma edição, fajuta digamos, mas não apenas "copiar e colar". Porém, há sim a possibilidade de que, se por um remoto acaso, R. visitar o site possa reconhecer que se trata de nossas conversas.
Mas, garanto que fiz isto na ingenuidade e por uma questão de tempo. Tanto que postei via e-mail... Agora, não me recordo de ter feito isto anteriormente...

Enfim... prometo não fazer mais. O blog é, sim, meu, faço dele o que quiser, mas
fico grato por me alertar. E isto não deixa de ser um dos objetivos do blog, pois aqui também é um espaço de aprendizagem para mim.

Uma pena, apenas, você não ter se identificado. Pois, quem me conhece sabe que jamais criaria caso por uma crítica construtiva. Portanto, se desejar, poderemos conversar mais sobre isto. Basta enviar-me um e-mail. O endereço está no meu perfil.

Agradeço, ainda, pelos elogios deixados, anônimo.

Um Beijo.

terça-feira, setembro 02, 2008

Começo da superação: as curiosidades! rs

Olá!!!

Aqui está a continuação da minha superação em relação ao R. rs Acho que essa seria a melhor descrição, superação em relação ao R.

Segue o e-mail de resposta aos questionamentos dele.

Respondendo às suas perguntas:

Olha, por enquanto eu tenho amigos, apenas, pela internet... já tentei "investir" pra cima de alguns, mas não deu certo. rs Tem um desses, que eu estava paquerando, o conheci pelo fotolog, e hoje virou amigo e a gente troca e-mails todos os dias úteis. Já trocamos até fotos mais... "ousadas" digamos. rs  Ele é muito legal, além de bonito! rs Mas, não rola nada não.  Pela distância, segundo ele. São todos de longe: SP, RJ, RS, CE, MG...  Tem outro que vive jogando indiretas pra cima de mim, mas não rolou uma química além de amizade, este é do RS.

Bom, você usou de exemplo exatamente aquilo que eu sonho em ter um dia. Um relacionamento estável, que nem todo mundo saberá de mim com o meu companheiro, apenas quem conviver o dia-a-dia conosco, os amigos mais íntimos e a família. Eu achava lindo aquele casal. rs E, é isso. Eu serei exatamente como eu sou. Não vou me vestir de mulher, nem sair rebolando, nem usando palavras no feminino... não. Eu não gosto disto. Não curto também cara efeminados, com trejeitos... embora não tenha nada contra, uma vez que tb não escolheram ser assim.

No meio homossexual masculino existe muita diversidade. E tem os discretos, que é o meu caso, que se eu não falar ninguém vai desconfiar, passamos por hétero sem problemas, né? Mas, o problema maior do preconceito são estes que banalizam, que vulgarizam a sua sexualidade.Existem, sim, muita promiscuidade, mas isto é da personalidade de cada um, eu acho. Assim como existe as relações hxh estáveis e existe a promiscuidade no meio hétero, entende?

Espero ter respondido tudo. Se quiser perguntar mais, esteja à vontade!


E, ele quis e esteve à vontade pra perguntar mais! hehe

 

Nossa, quanta coisa estou aprendendo com vc!

Cara, não precisa agradecer por nada não. Acho que amizades verdadeiras têm que ser desta forma, um ajudando o outro na hora do "sufoco", ficando feliz pelas conquistas do outro.... Etc Só não sou mais presente na vida desses meus amigos de verdade, que eu considero vc e o LF, por ser muito preguiçoso, caseiro e por causa da ****** que me segura muito em casa...

É difícil pra vc encontrar algm fora da internet? Pq realmente, é ruim esses "relacionamentos" pela internet, por causa da distância.

Eu tive algo parecido durante muito tempo. Quase cheguei a namorar uma menina de João Pessoa (não lembro se te contei). Hoje somos muito amigos.

Mas na época, a distância foi o problema... Se ela estivesse próxima, talvez estaríamos juntos.

Vou te perguntar uma coisa meio estranha, rs... Mas pintou a curiosidade.

No relacionamento homemxhomem, existe aquele que faz o "papel" da mulher?

Ou os dois invertem os papéis? Em qual vc se encaixa?


Muita curiosidade, né não? kkkk

Bom, já deixo minha resposta:


Enfim, respondendo. Vc se refere numa relação sexual?

Bem, o que eu posso te dizer é o seguinte. Existe, na relação hxh, o ativo, o passivo e o versátil, como costumam dizer, no caso de uma transa com penetração. Pois, entre homens, nem sempre há a necessidade disso, não é?

Aquele que se diz somente ativo e o que se diz somente passivo é uma questão de gosto. Assim como versátil, que é aquele que é passivo e ativo. Existe, sim, aqueles

que vivem como se fosse a mulher no casal. Mas, na maioria não. São dois

homens, fazem coisas de homens, lazer de homens...Não há diferença, são

apenas dois homens que se amam. Eu me encaixo no versátil, eu acho. Eu

nunca experimentei nem um, nem outro. rs Isso me intrigava um pouco tb no começo. Pois, eu sempre gostei de ser homem, não quero ser submisso. Eu quero me sentir protegido, ao mesmo tempo proteger, cuidar e ser cuidado. Um dia eu vi uma imagem de um cara dormindo com a cabeça no peito de seu parceiro. Eu morro de vontade de fazer isto, mas quero tb que ele durma um dia no meu. rs

Não sei se fui claro... Fui?

 

Fim. rs

Nós já trocamos mais alguns e-mails, onde ele diz não ter mais curiosidades,  mas não toquei no assunto também, não quero que ele pense que este vai ser o meu assunto de sempre, pois sempre conversamos de tudo... e assim segue nossa "amizade", rs


Beijo 

sábado, agosto 30, 2008

31/08 - Dia do Blog!!!

Olá!!

Blog Day 2008

Como já mencionei dias atrás, existe o Dia do Blog! Este dia é 31 de agosto. Interessante uma coisa tão recente já ter o seu dia de comemoração, não é? Eu acredito que isto motiva a gente a continuar o nosso trabalho. rs

Enfim, para a comemoração deste dia, é necessário que eu indique cinco blogs de minha preferência, uma vez que fui indicado pelo RFT. É uma tarefa difícil, pois são muito mais de cinco a minha preferência. Porém, a regra é clara! rs Por esta razão, the oscar go to:

Complexo de Anjo
Complexo de Anjo: Eu não poderia deixar de indicar o Complexo de Anjo. Pois, foi nele que eu comecei a enxergar que no mundo não havia somente eu que passasse por tais sofrimentos. Um blog profundo, onde o seu autor, Marcelo, expôe toda a dificuldade da auto-aceitação, assim como abre discussões sobre assuntos de interesse da comunidade homossexual.



Super CECG&B: Do nosso amigo Leo Carioca, é cultura viva. Traz informações das mais variadas, priorizando interesses GLBT's.



Estórias do Mundo: Um blog muito criativo, de escrita peculiar. Conta todas suas experiências, dificuldades e conquistas em contos espetacularmente escritos. Do nosso amigo Foxx, que auto-define-se uma raposa! rs


Binho sampa
Binho Sampa: Um site turístico, diríamos. Binho, com sua extensa lista de lugares que viaja e que frequenta, deixa as dicas para quem quiser se aventurar pelo Brasil ou mundo afora.



SAM: Uma alegria que contagia. Mesmo passando por dificuldades ele te faz abrir ao menos um sorriso. Grande SAM. rs

Eu colocaria tantos outros aqui... mas, para aqueles que não estão um forte abraço e parabéns pelo trabalho que exercem. Pois, isso não deixa de ser um trabalho, né?

PS. Ufa! Quase não deu tempo de sair em dia este post! hehe

Beijo e parabéns bloggers!

quarta-feira, agosto 27, 2008

Começo da superação: Mudança de rumo!

Olá, meus amigos!!!

Gente, antes de continuar a situação com o R., vou contar o que me aconteceu esses dias. Acho que nunca comentei aqui, mas eu adoro perfumes. Masculinos, obviamente! hehe

Adoro ainda mais, após algumas horas que o cara passou, parece que se mistura com o cheiro da pessoa! Sei lá. Me atrai bastante. E, já algumas vezes eu percebi que o perfume de uma coordenadora aqui da empresa me atraía. Muito bom mesmo! Eu ficava indignado: "por que, agora, esse perfume veio me chamar à atenção?", pensei. Teria que descobrir qual era aquele perfume, que não conseguia identificar. Enfim, a solução era perguntar, né? Então cheguei todo receoso e disse: *****, com todo o respeito, que perfume é este que você está usando?

- Humm... deixa eu lembrar qual que eu coloquei hoje... Ah! É o Galbe, do Boticário, peguei do meu marido!

Ufa! Entendi o porquê de eu estar tão atraído pelo perfume! kkkkkk Claro! Não falei nada, né? rs Só pensei! rsrs


Continuando. Eu acho que já tirei o R. da lista de pretendentes. Não estou pensando nele mais como eu pensava, apenas como amigo.

Com a resposta dele falando de castidade eu me assustei. Achei que tinha feito a pior coisa do mundo: ter contado a ele. Mas, eu não poderia deixar assim. Respondi então o e-mail da seguinte forma:

Com certeza, qualquer pai ou mãe gostaria que seu filho não fosse assim. Mas, o que
fazer se eu nasci assim? Do mesmo modo que não será fácil para minha mãe, não foi
pra mim durante 14 anos, período em que eu não me aceitava. Há dois anos foi que
eu comecei a ver que não há só eu assim no mundo e há pessoas maravilhosas e vivem
muito felizes.
Garreguei o sentimento de culpa, de pecador por muito tempo... pois até uma
masturbação para mim era o maior pecado do mundo. Porém, depois de muito sofrer,
eu entendi que a masturbação é uma necessidade fisiológica. Não sei se você já leu o
livro escrito pelo profº João Welter Jr., no qual ele relata a experiência dele no
seminário, onde ele sofria também com isto. Por que então, quando você fica um bom
tempo em abstinência o seu organismo chega ao 'auge' do prazer até quando se está
dormindo? Eu creio, sim, no catolicismo, mas com ressalvas. Para mim a castidade é
algo humanamente impossível. Por várias e várias vezes eu tentei isso. Ficava até três,
quatro meses em abstinência e por fim, meu corpo se encarregava de liberar essa tensão
durante o sono, sem o menor estímulo.
É complicadíssimo esse assunto. Pois, se fôssemos seguir à risca o catolicismo, um
homem hétero se se separar da esposa com a qual realizou o casamento religioso e
jurou que só a morte os separaria, deveria permanecer casto também. Por essas e
outras, R., eu estou me condenando menos. E não acredito que vou ser levado ao
inferno por "amar" (pois, não deixa de ser amor o que sinto) um homem.
Não estou querendo aqui, fazer você compreender ou aceitar isto. De forma alguma.
Eu quis apenas expor como eu estou compreendendo as coisas neste momento.
E que posso estar errado.... isto, somente Deus vai poder dizer!
Desculpe por estar te enchendo com este assunto.

Foi aí que a atitude dele mudou de rumo. Vejam:

"Opa, Kaka, vc pode falar sempre que quiser sobre este assunto. Para mim ele tbm é
importante, pois estou aprendendo a respeitar as pessoas que são assim como vc.
Confesso, que sou preconceituoso, mas como isso agora, aconteceu com vc q é um
amigo meu, tô revendo meus conceitos. rs Mas que bom que vc está compreendendo
melhor as coisas e está tomando um rumo em sua vida.
Cara, só te digo isso: vai ser feliz!!! rs
Em relação à abstinência vc tem toda a razão, é humanamente impossível viver desta
forma. Ninguém agüentaria.
Mas me diz aí? Vc já tem algm? Tipo, tem algm que vc está mais próximo, mesmo que
seja só pela net? Ah, te acho tão calmo, tranqüilo, e uma coisa me intriga.
Vc é assim, todo na sua por ser seu jeito mesmo, ou vc tem vontade de ser mais solto?
Vou tentar explicar melhor. Sabe uma novela das 8 que passou há algum tempo atrás,
que tinha um casal de homossexuais que eram super simpáticos, nem parecia que eles
eram homossexuais de tão discretos que eles eram. As vezes eu até comentava em casa
que gostaria de ser amigos de pessoas como eles. Em contrapartida, existem muitos
homossexuais que são mais soltos, tipo, banalizam esse sentimento, essa opção, no meu
modo de ver. Exemplo: voz muito mole, rebola demais, anda com roupas de mulheres...
Qual tipo vc é, ou vc quer ser? E o que vc pensa sobre isso?"

kkkkk Acho graça dessas perguntas. kk Enfim, continua! rs

Beijo

sexta-feira, agosto 22, 2008

Começo da superação: o susto.

Nuss! Homem molhado deve ser tudo de bom! rs

Olá!

Antes de mais nada quero dizer que estou "me achando", literalmente, com a indicação do blog Rapazes de Fino Trato - RFT. rs Muitíssimo obrigado a todos os autores do blog. Vou até colocar aqui a descrição do blog pelo Goiano! hehe


Viver sem Fronteiras - "Um blog escrito no estilo meu diário... mas o autor passa por dramas pessoais e os encara com muita força. É comovente. Tem um amor platônico, luta pela vida e luta pela individualidade e aceitação. O autor não esconde as fraquezas e nos envolve na narrativa de superação diária." (Goiano)


E já estou preparando o post para o Blog Day, onde terei que indicar quatro blogs. Nem sabia que existia esse dia, mas que bom! É dia 31/08. rs



Bom, continuando minha superação.

No fim do último post eu disse que nem tudo que parece ser, é. Pois, a impressão que R. me passou, e não sei se passou a vocês, pela resposta ao meu e-mail, que ele não tinha problema nenhum com relação à homossexualidade, não é?


Porém, isto me pareceu totalmente ao contrário no e-mail seguinte que ele enviou, em resposta ao e-mail no qual eu o agradecia por ter ficado do meu lado. E como ele havia dito que não entendia como um homem pode ter este sentimento por outro homem, disse a ele que eu não tenho como explicar, uma vez que nem a ciência ainda soube explicar. Mas, eu o que posso dizer é que ninguém jamais escolheu ser assim, sendo em minha opinião, uma terminologia incorreta dizer que é uma "opção sexual". Eu jamais escolhi isto. Falei do medo de perder a família, a questão religiosa que me aprisionou por muito tempo. E vejam a resposta que ele me deu:


"Cara, respeito muito a sua história, mas fico preocupado com sua mãe.Ontem fiquei pensando se um dos meus filhos fizesse essa "escolha", eu ficaria muito triste, acho que seria difícil para mim aceitar a situação. Realmente é difícil de entender esse sentimento que existe de um homem por outro homem. Somente quem tem esse sentimento é que vai compreender. Amigo, acho que não tenho muito mais o que dizer. Tipo, vc continua sendo pra mim, a mesma pessoa que eu conheci antes de saber desse assunto. Vou torcer para que vc seja feliz e consiga de uma forma ou de outra passar por esse problema com sua mãe. Acho, tbm, que vc deve se decidir de uma vez. Se é para seguir seu coração, que vc vá em busca desta felicidade, custe o que custar. Se vc não quer atrito com sua mãe e sua família e se principalmente vc acredita no catolicismo, acredito que vc deva viver em castidade, infelizmente, sufocando esse sentimento. Estou aqui, como seu amigo, para sempre te ouvir e falar o que eu penso tbm. Pode contar comigo!"


Castidade?!?


Quando recebi este e-mail... senti um aperto no peito e tinha certeza que fiz a pior coisa da minha vida!


Continua...


Eu queria postar mais vezes, mas olha, está difícil, viu? AFF

Gente, não tem um desse por encomenda, não? E eu odeio esses cortes estratégicos!

segunda-feira, agosto 18, 2008

Começo da superação, mas nem tanto...

Olá! Olá!!!

Quem não gosta de um suspensezinho, hein? Hehehe

Enfim, como vocês devem ter imaginado, contei ao R. sobre mim. Vejam com os próprios olhos parte do e-mail em que contei a ele.

"Bom... sobre amor proibido... é meio complicado falar sobre 
esse assunto,pois nunca fiz isto com ninguém. A não ser com o 
meu psiquiatra e agora com o meu psicólogo, mas aconteceu
depois de relutar muito. Mas, eu pude ver que eu não conseguia 
mais lidar com isto sozinho... foi onde resolvi contar.
Enfim, a gente não manda no coração, manda? Como por 
exemplo, vc escolheu amar a Keity ou quando você viu estava 
apaixonado por ela? E é isto qua a maioria das pessoas não 
compreendem. Bem, não vou me estender muito. Pois, de confiança
eu sei que vc é.  Não sei se estou fazendo certo te contar por 
e-mail, pois eu gostaria de ver a sua reação... Confesso que 
estou com o coração na mão e muito sem graça... Enfim, amor 
proibido, porque eu amo uma pessoa do mesmo sexo... Guardei 
isso só para mim por 16 anos. De pessoas que fazem parte do 
meu dia-a-dia a primeira a saber é vc. Nunca tive 
relacionamento nenhum... nem com homens, nem com mulheres...
principalmente porque foi muito difícil para mim mesmo 
descobrir isto...Vc sabe que sou religioso, faço parte do 
coral da igreja... agora imagina o peso que está sobre mim...
Eu peço desculpa... mas eu senti vontade de te contar isso...
este segredo que eu jurei, um dia, morrer com ele...
Espero, ainda, poder contar com você, como amigo, uma vez que 
nunca coloquei isto entre nossa amizade...
Enfim... só peço que vc não comente com ninguém e... se possível,
me responda esse e-mail... positiva ou negativamente."


Esta foi a resposta dele:

"Puxa, que legal que vc conseguiu se abrir com o seu psicólogo e agora comigo. É muito ruim guardar o que a gente sente, vc fez muito bem em fazer isso.

Não, definitivamente a gente não manda no coração. Vou ser bem 
sincero com vc, como sempre sou, beleza? Rs
Eu não entendo muito bem como são essas coisas, de gostar de algm
do mesmo sexo,pois eu sempre gostei de meninas. Tenho outros 
amigos como vc, e confesso que são com pessoas assim que eu mais
me dou bem. Nossa, mas 16 anos é uma vida, hein Adriano?
Vou te confessar, que eu desconfiava que fosse isso, seu problema 
amoroso. Então, não se preocupe que a minha reação foi a mais
normal.
Pode continuar contando com a minha amizade, sempre.
Quanto a religião, é complicado, pois ela diz, eu acho, que não
é a ordem natural das coisas. Mas o importante é vc tentar ser 
feliz, doseu jeito, fazendo aquilo que vc quer e gosta, sem 
ficar se preocupando com o que as pessoas irão pensar sobre isso".

Mas, nem tudo é como parece ser. Continua no próximo post!


PS1:Ferdinando, infelizmente não possuo banner do blog, não!!! Até quando vc precisaria? Tem alguma dica para eu procurar fazê-lo? rs Adorei a idéia!!


Beijo

sexta-feira, agosto 15, 2008

O começo da superação

Olá!

Há alguns dias atrás, eu escrevi sobre o R. Pra quem não sabe o R. é um cara que trabalhou e estudou comigo até fevereiro do ano passado, quando ele teve de assumir o cargo de um concurso que foi aprovado. Ele me levantava algumas suspeitas de que fosse interessado por mim, e isso me fez... apaixonar por ele. Porém, no ano de 2006, ele conheceu uma garota e depois de um mês de namoro ela apareceu grávida e ele teve que se casar. Enfim, continuamos amigos e temos algum contato por e-mail.

A semana passada ele me enviou um e-mail dizendo que eu andava sumido e tal. Respondi que estava na correria e comentei sobre a terapia com o psicólogo, sem falar da homossexualidade, na qual ele me orienta a sair mais, ter mais amigos, que se não for convidade que é pra eu me jogar, me enfiltrar, etc. E disse que se ele fosse solteiro nós podíamos estar mais próximos... Ele me respondeu dizendo que não era muito de balada, que curtia estar num barzinho, ou numa roda de amigos ou ainda assistindo um filme com uma turma. Eu respondi que também não sou de balda, que eu tenho o mesmo gosto que ele, uma coisa mais tranquila. Neste assunto ele me fez uma pergunta, que me deixou até meio pra baixo. Ele perguntou: "Você já teve um grande amor? Ou melhor, você tem um grande amor?"
E me contou de uma paixão por uma garota que ele traz consigo há mais de 10 anos e não é a esposa dele.
Nuss! O que responder? Eu queria logo dizer "Tenho e é você!". Mas, claro, jamais faria isto. E ler a história de amor dele? Que sufoco!

Em seguida, respondi o e-mail dizendo que "já tive, tenho e sofro por um grande amor. Mas, nunca comentei com ninguém a não ser com o meu psicólogo, pois meu amor é um ...'amor proibido'."

Aí, então, ele respondeu: "Amor proibido? Se quiser qualquer dia conversar sobre isso sabe que pode contar comigo. Beleza?"

Aproveitando o "gancho" fiz uma coisa que estou surpreso até agora. Mas, fica pro próximo post, senão vcs não lêem, não é? rs

As fotos de hoje é especialmente para alguém que insiste em dizer que eu não penso nele, mas eu lembro, sim, inclusive dos gostos dele! Quem é sabe! rs Tá aí, homens de cueca!

Beijo

domingo, agosto 10, 2008

Diz que não é um mal blog!!!

Olá!

Desculpem aí pela mesmice do post anterior...

E, desculpem por eu prometer fotos noutro dia, mas aconteceu uma coisa bem chata, horrível mesmo por aqui. Mas, eu já estou bem e minha família também. A vida continua, não é?



Enfim, hoje eu vim fazer este post que estava devendo já há algum tempinho.

É que recebi uma indicação do nosso amigo Binho. Bem legal e interessante!

As regras do selo, conforme estão no blog dele, são:

- o prêmio deve ser atribuído aos blogs que vocês considerem ser bons. Entende-se como bons blogs aqueles que vocês costumam visitar regularmente e deixar comentários.

- você recebeu o “Diz que até não é um mau blog”, deve escrever um post indicando a pessoa que lhe deu o prêmio com um link para o respectivo blog. Neste post devem aparecer o selo e as regras.

- indique outros nove blogs ou sites para receberem o prêmio. - exibir orgulhosamente o selo do prêmio no seu blog, de preferência com um link para o post em que fala dele e de quem te presenteou.

Bom, nove blogs parece ser um exagero, né não? hehe Por essa razão vou indicar alguns, no máximo três, já que uma boa parte dos que estão na minha lista já foram indicados, né?

São eles:

1.Complexo de Anjo
2.Ainda mais por Dentro
3.Super CECG&B
4.As Histórias de Vilser, resolvi indicar, mais uma vez, o Vilser pra ver se ele aparece, né? AFF rs

quarta-feira, agosto 06, 2008

...

Olá!!!

 Esta semana e, principalmente hoje, estou num daqueles momentos "quero apenas o direito de ficar calado sem ter de explicar o porquê de estar assim". Resolvi, então, postar pra ver se isso melhora...

 Primeiramente, quero agradecer aos comentários que estão sendo muito úteis para mim. É assim que eu imaginei o blog desde o início. Eu preciso dessa respostas de vocês. E não se preocupem com o tamanho do comentário, quanto maior melhor. Está bem?

 O que foi dito nos comentários me conforta por dois motivos, em especial. O primeiro é por saber que não sou eu que passo por isto. E o segundo, é por eu ver que quem está passando pelo mesmo que eu, estão buscando a sua felicidade, digamos, bem mais jovens que eu.

 Eu sei que tenho feito bons e grandes amizades pelo blog. Mas há um pequeno detalhe: a distância que nos separam. Os que mais tenho contato estão no RS, RJ, SP, CE e MG. E, eu, estou no PR. E devido ao meu trabalho e ao tratamento de saúde, não tenho muita disponibilidade para viagens.

 Esta é grande dificuldade que eu encontro. Se eu estivesse mais perto desses pessoas, maravilhosas por sinal, que conheci através deste meu espaço, tenho certeza que tudo seria facilitado para mim.

 Outra dificuldade é que a cidade onde moro é uma típica cidade do interior, tem hoje 45.000 habitantes. Bem pequena em relação aos grandes centros, onde existem muitas mais opções para estar à procura de uma amizade, que seja.

 Enfim, o que o meu psicólogo tem me orientado tem conferido muito com o que vocês estão comentando. Eu quero que as coisas aconteçam rápido demais e enxergo tudo de forma negativa. Comentei com ele sobre o amigo drag queen, o que ele achou que sair com ele ou ir em uma balada gls, seria um impacto muito grande diante o que tenho vivido até hoje. Eu concordo, sim, com isto. Mas, eu já perdi tanto tempo... eu queria mesmo dar um salto... triplo... e de repente estar onde quero chegar.

 Mas, onde quero chegar?

Beijo.

PS. Hoje ficará sem fotos... amanhã eu posto algumas.

segunda-feira, julho 21, 2008

Por onde começar?



Olá! Olá!

O assunto será novamente a terapia. Quanto à privacidade, está sendo fácil até de se resolver. Consegui fechar, pelo menos, a porta do quarto. Chaveada, inclusive. No primeiro dia, eu ouvir mexer na porta. Esperei uma segunda tentativa. Não houve. Então não me importei e não levantei pra abrir. No dia seguinte a primeira coisa que minha mãe falou foi: "Filho, por quê você tranca a porta? E se alguém passar mal à noite e precisar te chamar?" Eu respondi, apenas: "Eu destranco a hora que vou deitar, não passa a noite toda trancada." Só isso e não dei explicações do que estava fazendo. Na verdade, eu estava assitindo a um filme. "O Céu Dividido". Filme mexicano, bem fraquinho eu achei, gostei apenas da forma de carinho entre as personagens. Então isso foi fácil. Não me senti culpado nem nada.



Agora, quanto à questão de aumentar a parte social da minha vida... tá complicado. Eu, sinceramente, não sei por onde começar. Minha vida social restringe-se à familia, à igreja e ao trabalho. Nada além disso. Se saio pra algum restaurante, lanchonete ou alguma festa, é sempre em companhia da família. E, segundo o psicólogo, não há outro caminho para se chegar onde quero. Ou seja, ter amigos gays e, consequentemente, um namorado. Mas, como ele mesmo diz, isso é um loooonngo caminho, que deve ser percorrido a passos lentos... e, devagar se vai ao longe, né? Porém, eu espero que não seja tão longo assim... 2008 já se passou, praticamente. Com certeza minha meta não será cumprida! Triste, mas é a verdade!


quinta-feira, julho 17, 2008

Apenas palavras...

Apenas palavras que mexeram comigo!




"Amar talvez seja isso...

Descobrir o que o outro fala

mesmo quando ele não diz."





"Amar...
O coração muda de lar
Conjugação muda de tempo
E o que é de fora fica de dentro.

Amado...
O coração mudou de lado
Navegação mudou de mar
E o que era ímpar virou par.

Amante...
O coração cruzou a ponte
Tornou-se vértice o horizonte
E o antes distante ficou logo ali."
De: Pe. Fábio de Melo

PS. Onde isso tem cara de padre? rs Deus que me perdoe! Mas, é verdade!

Amanhã terei nova sessão com o terapeuta, aí então volto pra dizer como estão andando as coisas!

Beijo

quinta-feira, julho 10, 2008

Determinação, de onde se tira? rs




Olá!Bom... eu queria que em minha vida tivesse mais letras pra comentar aqui, né? Mas, infelizmente foram só estas... e cada uma com um resultado não desejado! rsEnfim, quanto à terapia...estou um tanto quanto preocupado. Pode parecer até ignorância de minha parte, mas... eu achei que seria mais fácil. O psicólogo disse que eu devo seguir as instruções que ele me passar. E essas instruções implicam diretamente à minha forma de ser dentro de casa e na sociedade. Como por exemplo, um assunto já levantado aqui no blog, que é sobre minha privacidade dentro de casa. A instrução dada é: "Começar a fechar a porta do quarto enquanto eu estiver na net." Eu sei que isso vai criar questionamentos por parte de minha mãe. Tipo, "o que você tá fazendo aí com a porta fechada?", "Por que que agora tem que fechar a porta?" Isto, eu ainda considero fácil de se fazer e inventar uma desculpa para responder a esses questionamentos. Agora, quanto a sair com amigos, aumentar o círculo social... Que amigos? Eu não tenho amigos, com sinceridade, nunca fui de ter amigos pra estar saído à noite ou num fim de semana. E, como ele disse: "não tem amigos... se enfia, se joga!"... E minha timidez que me bloqueia?... Vou precisar de uma boa dose de determinação e muita, muita coragem. E, como eu já disse, o duro é saber que só depende de mim!





Mudando de assunto:Tem um enfermeiro que começou a trabalhar na clínica onde faço o tratamento, que é assumido e todos sabem... na nigth ele é drag queen. Ele já havia trabalhado lá, e tinha ido morar fora do país e agora retornou, inclusive para o mesmo emprego. Até tivemos um pequeno problema há alguns anos atrás, que ele vivia dizendo que não via a hora de cuidar de mim. E, outros dos enfermeiros me contaram. O "ingênuo" aqui, querendo saber os pensamentos de minha mãe sobre o assunto (homossexualidade) contei a ela. A pior atitude por parte dela foi tomada. Ligou imediatamente para o diretor contando o que estava acontecendo. Ele passou algum tempo meio distante de mim, mas, por minha sorte voltou tudo ao normal, e fizemos uma certa amizade pela net enquanto ele estava fora do país. Agora que ele retornou e está na clínica novamente, estou pensando em contar a ele o que realmente aconteceu e revelar sobre mim... vou, claro, observar primeiramente se posso confiar nele. Quem sabe ele não pode me ajudar a "desencatar"?O que vcs acham?Beijo

domingo, junho 29, 2008

Colocando em dia




Olá!


Eu estou considerando que eu vou me dar bem com este psicólogo... gostei do jeito dele, da forma dele abordar o assunto e tal. Por isso disse que é minha última esperança. rs A próxima sessão foi marcada pra sexta-feira. Não vejo a hora que chegue!



Continuando a colocar em dia sobre as letras da minha vida! rs

Uma alteraçãozinha com relação ao S. Hoje, exatamente hoje, ele veio falar comigo. Eu estava esperando a copeira chegar para abrir a copa no trabalho, estava na hora do meu lanche, e ele passou em um corredor próximo e me viu. Veio em minha direção perguntando o que eu estava fazendo ali. Respondi e ele me cumprimentou com um aperto de mão. Então eu disse: "Eu estraguei nossa amizade com aquele pedido que fiz, né?" Ele respondeu: "Não, é você que vive escondido lá na sua mesa, não sai mais de lá!" Aí batemos um papo e direi um pouco do "mal-estar" que estava sentindo em relação a ele. O duro é que eu sinto um tesão quando vejo aquele homem! AFF




Anyway,

R - o R eu o encontro de vez em quando, diminuiu muito o que eu sentia por ele. Quer dizer, eu achava isso. As duas vezes que o vi antes da última, foi em seu apartamento com sua esposa. Não sei se é por ela estar por perto, ele ficou na dele. Mas, na última vez que o vi, foi na empresa, onde ele chegou dizendo que estava com saudades e foi "nos" visitar. Neste dia, eu fiquei desconcertado e confuso novamente. Ele sentou-se de frente para mim, estávamos conversando em cinco pessoas, mas tudo, tudo o que ele dizia era olhando para mim, nos meus olhos... por que isso? Trocamos e-mails várias vezes, nos quais ele sempre diz sentir muita falta de trabalhar comigo... no último ele diz "Puxa, ..., como eu queria voltar a trabalhar com você. Vocé é super profissional além de um grande ser humano." Não é nada, mas mexe comigo!



A (outro do flog) - Este, depois de várias cantadas minhas e descartadas dele pela distância, virou um grande amigo, talvez um amigo com vantagens (hehehe)... trocamos várias fotos por e-mail, fotos do jeito que viemos ao mundo, frente e verso, prontos pra ação ou não e com o resultado final no exato momento de acontecimento! rs Muito fofo ele! Disse que é só eu ir até a cidade dele que ele me "desencanta". hehe Quem sabe? O dia que eu criar coragem... pode ser! rs



S2 (carinha da clínica) - Falei com ele há mais ou menos um mês por telefone... estava desempregado ainda, disse estar bem com a namorada agora e ... enfim, só mais uma ilusão minha. Não entrarei em contato nem para manter amizade, acho que fiz minha parte!



É isso! Aí está o resultado da minha "caça". Ou seja, bem estacionada! rs Sem nenhum resultado aparente! Fazer o que?



Uff!!! Que homem é esse?!? hehe
Beijo

Lost

Michael Bublé, porque, além da voz, eu acho lindo!

Eu gostaria de vir aqui dar uma grande notícia, dizer que deixei de ser virgem, que conheci alguém legal, bonito, interessante... e coisa e tal. Mas, infelizmente não é o que tenho a dizer. O pior é que estou vendo mais um ano chegar ao fim e minha meta que tinha sido traçada ao iniciar 2008 longe de ser alcançada. Para quem não sabe, a minha meta era contar à minha mãe sobre minha homossexualidade, e assim começar a viver essa "parte" de minha vida que está sufocada desde os meus treze anos de idade. Porém, com comentários feitos por ela, minha mãe, quando se passa qualquer coisa sobre homossexuais na TV, eu desisti por completo. Me vi perdido, me senti incapaz de poder conduzir minha própria vida.
Como já sabem, faço acompanhamento com o psiquiatra por causa de uma depressão que tive. E, somente com ele, além do blog, consegui me abrir e falar sobre o que eu sentia: atração por outros homens. Desde então, ele insiste que eu preciso de uma psicoterapia, pois o papel dele é apenas medicar-me... já tentei uma vez e não me identifiquei com a terapeuta, e por ser mulher não me sentia à vontade para falar sobre a homossexualidade e desisti. Mas, pude ver que não há outro caminho... não conseguirei sair desta estagnação sem ajuda... procurei por esta ajuda aqui no blog, o qual ajudou a me aceitar como gay, apenas... e o resto depende de mim... mas vejo que não tenho mais forças. Resolvi então começar a psicoterpia novamente, falei com o meu psiquiatra e ele me encaminhou a um psicólogO. Essa é minha última esperança. Passei por apenas uma consulta... mas já me identifiquei com o terapeuta. Porém, de acordo com o nosso "papo" inicial, ele têm que tratar outras questões em minha vida... e a sexualidade virá como consequência. Ele disse ver uma certa urgência em meu caso... mas que tudo tem seu tempo.
Estou ansioso para a próxima sessão e confiante no resultado.



Bem, esses dias em um e-mail, o Jovem Aventureiro me perguntou como andam os gatinhos que nunca mais falei em letra nenhuma. rs Realmente o alfabeto sumiu da minha vida!
Vamos por parte, então, para que o post não se estenda tanto.
M (o do flog) - este sumiu, excluiu o flog, o orkut... escafedeu-se sem deixar rastros, o vi uma ou duas vezes no msn, mas logo em seguida já estava off, não dava nem tempo de dizer um "OI". Acho que a última vez que falei nele foi neste post: M, R, S...

S (o japa)- este depois de eu ter feito aquele pedido "maluco" a ele, ele se afastou de mim, praticamente, só me cumprimenta. Quem quiser recordar: A pequena loucura.

No próximo post tem mais letras.

Deixo aqui uma música que não consigo parar de ouvir:

Lost(Michael Bublé)
Can't believe it's over
I watched the whole thing fall
And I never saw the writing that was on the wall
If I'd only knew
Days were slipping past
That the good things would never last
That you were crying

Summer turned to winter
And the snow had turned to rain
And the rain turned into tears upon your face
I hardly recognize the girl you are today
And God I hope its not too late
Mmmm….Its not too late

'Cause you are not alone
I'm always there with you
And we'll get lost together
Till the light comes pouring through
'Cause when you feel like you're done
And the darkness has won
An' babe you're not lost

When your world's crashing down
And you can't bear the thought
I said baby you're not lost

Life can show no mercy
It can tear your soul apart
It can make you feel like you've gone crazy
But you're not
Things have seemed to change
There's one thing that's still the same
In my heart you have remained
And we can fly, fly, fly away

'Cause you are not alone
And I am there with you
And we'll get lost together
Till the light comes pouring through
'Cause when you feel like you're done
And the darkness has won
An’ babe you're not lost

And the worlds crashing down
And you cannot bear the cross (?)
I said baby you’re not lost

Mmmm yeah yeah, yeah yeah,
I said baby you're not lost.
I said baby you're not lost.
Oh yeah, yeah
I said baby you're not lost.



Até

quarta-feira, junho 04, 2008

Crenças - Continuação

Olá,

Bom... aqui vou deixar a continuação do texto do post anterior...
No próximo eu comentarei o texto e responderei aos comentários deste e do anterior, ok?

ENGANO
Mais tarde descobri que a equação estava incompleta; afinal, antes de afirmarmos que somos o que pensamos há um estágio na frente. O mais importante de todos. A base, o solo de nosso plantio.
Há uma incógnita na equação à qual praticamente eu não dava muita atenção. Ela estava ali na minha frente o tempo todo e eu insistia em não ver. Porque esta verdade acaba fazendo parte de nós sem que, muitas vezes até, tenhamos escolhido. Nos foi imposto.
Sou obrigado a mudar meu conceito. Minha equação ficaria completa, colocando mais esta variável.
Somos, na verdade, produto de nossas CRENÇAS. Nossas verdades interiores, corretas ou não, neste caso não importam. São elas que ditam nosso destino. São elas que constroem os nossos pensamentos. São elas, as nossas crenças, a matéria prima de nossas verdades. Se repetirmos qualquer ação, corremos o risco de criar um hábito. Todo hábito reprocessado tem influência em nosso caráter e todo caráter alterado, certamente vai mudar o rumo de nossa vida.
O motor do nosso veículo são as verdades nas quais acreditamos. O combustível e o lubrificante são importantes, mas certamente secundários. O motor é a crença, a fé o combustível e o respeito que nutrimos por todo o Universo, o lubrificante.

Você pode estar se perguntando: e o amor?
Amor sem respeito é como um sapo no fogo. Só uma questão de tempo para morrer... O ser humano não consegue conviver com o amor incondicional. Ainda somos estudantes neste tema. O sexo também atrapalha muito qualquer conceito sobre ele, da convivência e pratica do amor incondicional. É preciso respeito.
Sempre o que vem em desacordo com a nossa vontade é colheita... Mas, por outro lado, o que vem de acordo É MERECIMENTO.
O merecimento nasce com as nossas CRENÇAS. Elas determinam as nossas atitudes. Não adianta responsabilizar Deus, Buda, Maomé, Jesus, Sai Baba, Preto Velho etc. pelo sucesso de nossa vida.
Eles não pensam, não falam e nem agem por nós. Somos o comandante de nosso barco, de nosso avião ou de nosso carro. E não temos que levar ninguém de carona. Só tem espaço para um na evolução de nossa essência. Quem quiser estar ao nosso lado é por consenso e decisão própria.
Você já aprendeu isso? E que não se ajuda quem não quer se ajudar? Portanto, se a vida não está de acordo com o que você deseja, REVEJA SUAS CRENÇAS.

Beijo